You are currently browsing the tag archive for the ‘clitóris’ tag.

Tive acesso ao excelente “A girl’s guide to 21st century”, uma excelente série de documentários produzida por um canal da União Européia. Recomendo muito à todos. É um documentário que abrange vários aspectos da vida sexual e mostra exatamente o que precisa ser mostrado e algumas vezes muito mais do que qualquer outro já feito, como por exemplo o interior da vagina durante o ato sexual, algo realmente surpreendente.

Mas para este post o que gostaria de trazer desta série são as novidades sobre o orgasmo feminino. Em um post anterior estive comentando sobre o orgasmo feminino. Novos estudos divulgados naquele documentário mostram que as mulheres podem ter outros tipos de orgasmo: o orgasmo clitoriano ou uniorgasmo; o orgasmo do clitóris mais do ponto G ou biorgasmo; e o triorgasmo que é a união do orgasmo clitoriano, do ponto G e mais o orgasmo anal. Este último o que mais chamou minha atenção.

O orgasmo clitoriano é o mais comum de todos. A mulher pode atingi-lo através da estimulação do clitóris na masturbação.

O segundo é atingido através do ponto G.  Ponto G é um assunto bastante polêmico dentro do estudo da sexualidade. Muitos já disseram que não existe. As mulheres que o encontram descrevem sensações soberbas e aquelas que têm orgasmo a partir dele dizem ser bastante diferente do orgasmo clitoriano. Ainda neste embate todo está inclusa a velha polêmica da existência de um orgasmo vaginal e o seu suposto significado psicológico. Enfim não é um tópico tranquilo dentro das ciências humanas.  Têm este nome em homenagem ao ginecologista alemão “Ernst Grafenberg” que primeiramente considerou a hipótese de sua existência. A grande confusão está também na dificuldade em encontrá-lo, já que varia em tamanho e local. Vamos tentar encontrá-lo. O ponto G está localizado dentro da vagina na parede que corresponde a frente do corpo. A posição varia de mulher para mulher portanto você terá que explorar com paciência. Tem aspecto de esponjoso e você saberá que o encontrou porque sentirá uma sensação diferente. Uma boa idéia é ensinar ao parceiro sua localização.

Agora o terceiro orgasmo descrito. O orgasmo anal é o mais estranho de todos os descritos. Confesso que jamais havia ouvido falar dele. Procurei por estudos que demonstrassem sua existência e o descrevessem mas não encontrei. De fato podemos observar a contração da musculatura anal durante o orgasmo mas jamais encontrei alguém que se refira e isto como prazeroso. Talvez seja uma novidade que as mulheres estejam dispostas a experimentar e compartilhar. Então se alguma leitora tiver uma experiência de triorgasmo não exite em compartilhar conosco.

Foram muitas novidades desta nova série de documentários. Nos próximos posts comentarei sobre outras. Até lá.

Uma dúvida recente de uma de nossas leitoras me atentou para um deslize. Tenho comentado bastante sobre problemas e disfunções diversas, mas esqueci de escrever sobre onde estes problemas costumam acontecer. Nunca falei dos nossos orgãos sexuais. Pois bem neste post a estrela é a parte externa do aparelho reprodutor feminino.

A vagina

Aqui está. Uma bela visão externa da vagina. Algumas delas estão mais recobertas por pelos outras mais lisinhas mas usualmente este é o aspecto da genitália externa da mulher. Como você leitor ou leitora pode ver a vagina possui várias partes. O monte de vênus algumas vezes é mais gordinho pois também é constituído internamente de gordura (algumas mulheres até fazem cirurgia plástica para modificar isso). Também podemos ver os grandes lábios que algumas vezes são mais avantajados e podem ser corrigidos com cirurgia. Os pequenos lábios vêm logo depois. O meato urinário que é um buraquinho por onde sai a urina (e que muitas vezes nós homens, quando inexperientes, colocamos os dedos o que é bastante incômodo para as mulheres). Nesse ponto também (mas não só) podem acontecer infecções que podem originar a dor no coito ou dispareunia. Se a mulher é virgem podemos encontrar o hímen, que é a essência fisiológica da virgindade (lembre-se que a virgindade não se resume ao hímen pois ele pode se romper de outras formas ou mesmo não se romper por ser elástico ou complacente). Caso a mulher já tenha tido relações podemos encontrar apenas vestígios do hímen. O orifício da vagina é onde se introduz o pênis e também outras “coisitas” mais. É aí que acontece a relação propriamente dita e faz ligação com o restante do aparelho reprodutor feminino onde acontece a gravidez.

Deixei o clitóris por último, propositadamente. Isto porque quero falar especialmente sobre ele. O clitóris é uma pontinha que fica logo no encontro entre os pequenos lábios. Podemos percebe-lo como uma bolinha de pele (grosseiramente falando). Tem algumas características próximas ao do pênis e costuma-se dizer que ele é seu equivalente feminino. O clitóris se enche de sangue, cresce e enrijece como o pênis. Ele pode ser considerado um receptor dos estímulos sexuais e quando estimulado faz crescer a excitação até provocar o orgasmo. Ele então é o responsável pelo orgasmo da mulher. Agora estamos entrando numa zona delicada. Existem muitas divergências quanto ao papel do clitóris. Grandes estudiosos o menosprezaram. Existem algumas mulheres também que relatam orgasmos através da estimulação interna da vagina e não do clitóris o que gera alguns conflitos já que outras não experimentam este tipo de orgasmo.

O consenso hoje em dia é: só existe um orgasmo. O chamado orgasmo vaginal acontece porque o clitóris é esimulado pelo roçar do pênis e/ou pelo prolongamento do clitóris que chega até as paredes da vagina. Em outras palavras, a vagina está ligada ao clitóris.

Muito bem, então como estimular o clitóris. Primeiro vamos encontrá-lo. Olhando a figura e quem sabe com a ajuda de um espelho procure aquele ponto com o número 2. Você sabe que este é o clitóris porque quando o tocar vai sentir uma sensação diferente e agradável. Pronto, agora é só continuar mexendo. Algumas mulheres fazem movimentos circulares, outras de vai e vem. Isto é muito particular, cabe a você encontrar a forma mais prazerosa.

E quando estamos no meio da relação como manipular? Você pode usar a mão mesmo como na masturbação, ou mais gostoso ainda, ensinar o parceiro a manipular. Isto vai deixá-lo feliz e satisfeito. Algumas posições também privilegiam a clitóris.

Uma boa jornada…

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 36 outros seguidores